Blog Dentalclean
febre de dente

Febre de dente: saiba quanto dura e como identificar

3.7 (73.33%) 6 votes

Odontopediatra explica tudo sobre a suposta “febre de dente”, associada ao nascimento dos primeiros dentinhos.

Será que o seu bebê está com “febre de dente”? Afinal, um dos grandes desafios dos pais durante o primeiro ano de vida do filho é entender o que está incomodando o bebê sem que ele fale uma palavrinha se quer. Será que é fome? Ou será que é dor? Será que é frio? Ou será que é sono? Será que é por conta do nascimento de dente? Ao menos, em uma dessas hipóteses, nós vamos te ajudar a entender.

Esta tarefa de descoberta da fase de desconforto da criança é ainda mais difícil no início da dentição, que geralmente por volta dos 6 meses de idade. No entanto, lembre-se que é normal e comum que alguns bebês atrasem e outros se adiantem nesse processo. Por isso, é tão importante o acompanhamento com um profissional.

Esse período coincide com vários processos do desenvolvimento infantil. E é comum que os pais atribuam ao nascimento dentário reações causadas por outros fatores. Entre as situações simultâneas à erupção dos dentes pode estar a entrada na creche, a introdução alimentar e o contato de objetos com a boca, por exemplo. Sendo assim, é importante se atentar ao comportamento do pequeno para não relativizar os sintomas, inclusive a febre.

É importante ressaltar, no entanto, que estudo recentes já mostram que a febre não está necessariamente sendo causada pelo nascimento dos dentes, mas acontece em um período no qual a criança, por colocar mais objetos à boca (até mesmo por conta do desconforto causado pelo rompimento gengival), ter contato com alimentos e pessoas diferentes, acaba sendo acometido por outras infecções oportunistas. Portanto, a febre não é por conta do nascimento dos dentes, mas um evento de infecção que ocorre no mesmo período de desenvolvimento da criança.

Quando eu preciso me preocupar?

O primeiro passo para identificar o grau da temperatura.

“Alguns estudos apoiam que um estado febril, de até 37,7°C associado ou não a episódios de diarreia são fatores que podem estar ligados ao nascimento dos dentes nos bebê, embora não esteja efetivamente comprovada essa associação”, explica a odontopediatra Samantha Sousa.

Apesar de popularmente chamada de “febre de dente”, os especialistas
caracterizam a elevação da temperatura por causa do nascimento de dentário como sub-febre ou estado febril  – pois fica entre 37,2 e 37,8 °C. É um sinal de alerta, mas não chega a ser considerada febre, por muitos.

Qual a explicação para esse estado febril?

Esta febre no bebê, para ser considerado um episódio natural, além de não superar este limite de temperatura de 37,7°C, em geral dura 1 ou 2 dias. Febres persistentes devem ser investigadas o quanto antes, com um médico pediatra.

A odontopediatra também explica que esse estado febril pode acontecer devido ao “rompimento” da gengiva, causando um estado inflamatório local. Isso acontece tanto pela resistência orgânica baixa no bebê, quanto pelo fato de, muitas vezes, estarem “nascendo” vários dentinhos ao mesmo tempo, o que deixa o bebê mais suscetível a infecções!

“Porém, essa febre também pode ser conseqüência da contaminação das mãos e/ou objetos levados à boca, em razão do desconforto gengival provocado pelo nascimento dos dentes, levando a uma infecção bacteriana ou virótica comum nessa fase do desenvolvimento infantil.”, contribui a odontopediatra.

O que fazer para ajudar o bebê 

Se o bebê apresenta reações como choro irritação, perda de sono ou de apetite, aumento da salivação, gengiva avermelhada e inchada, rostinho corado, diarreia leve e, sim, elevação moderada da temperatura, pode ser um aviso de que um dentinho chegou ou está por vir.

“A primeira coisa a se fazer é ter paciência e carinho com os pequenos. É importante lembrar que irrupção dos dentes é um processo inflamatório e por isso causa mesmo desconforto”, destaca Samantha. Segundo ela, a sensação se assemelha ao nascimento do terceiro molar (dente do siso) em adultos.

Os especialistas recomendam o uso de mordedores firmes e gelados para aliviar o desconforto. Aliás, alguns já são próprios para serem colocados na geladeira. Outra orientação é massagear o local da erupção com o dedo envolvido em gaze umedecida por água filtrada fria. Além disso, a massagem gengival também pode ser realizada com massageadores próprios para essa função, também conhecido como “dedeiras”.

Para as mamães que fazem a ordenha, oferecer o leite geladinho é uma boa opção para aliviar o mal-estar. Existem também substâncias naturais e medicamentos que podem ajudar, mas devem ser prescritos por um médico ou odontopediatra.

“A Dentalclean tem uma escova massageadora chamada Baby Care. Ela é de
silicone atóxico e própria para o alívio do incômodo da erupção dentária”, divulga Samantha. A escova infantil Baby Care é extra-macia, em formato de dedal (por isso o nome popular, “dedeira”) para facilitar o manuseio.

febre de dente

Clique aqui para ver onde comprar essa escovinha mais pertinho de você 😉

Vale lembrar também que, a partir do nascimento do primeiro dentinho seu bebê, ele já estará apto a fazer sua primeira consulta ao odontopediatra, que é o dentista especialista em crianças.

É muito importante cuidar da saúde bucal do seu bebê desde o berço, veja neste conteúdo como se preparar para mais esta importante etapa do crescimento do seu pequeno.

Deixe seu comentário ↓

Samantha Sousa

Dra. Samantha Souza é dentista especializada em odontopediatria e pós graduada em pacientes especiais. Mestranda da UNB, atende na clínica Vanini em Brasília-DF.

Tudo sobre os dentes da criança - Baixe o E-book Grátis

Siga a Dentalclean

Acompanhe a gente nas redes sociais e fique por dentro dos lançamentos e novidades.