Blog Dentalclean
Apneia do sono

Apneia do sono: como o dentista pode tratar o problema

5 (100%) 1 vote

Depois de uma noite mal dormida é inevitável que as consequências apareçam. Logo a sensação de sonolência, cansaço, irritação, dificuldade de concentração e outros sintomas provocados pela noite anterior surgem – e o pior, durante o dia. A má noite de sono pode ser causada pela apneia, distúrbio que provoca o ronco e a obstrução da respiração enquanto a pessoa dorme, ocasionando engasgos, os quais são muitas vezes imperceptíveis.

O problema é que essas interrupções chegam a diminuir o oxigênio no sangue, fator que aumenta os batimentos cardíacos e contraem os vasos sanguíneos. Por esse motivo, a apneia é considerada um fator de risco para doenças graves, como a arritmia e a pressão alta.

Sintomas

Os principais sinais da apneia envolvem um sono conturbado, com movimentação excessiva, ronco alto alternado com períodos silenciosos e sonambulismo. Após acordar, o cansaço, sono excessivo, a cefaleia matinal e a irritabilidade também podem indicar o distúrbio. Por refletir diretamente no dia seguinte, a apneia afeta a produção no trabalho, as relações pessoais e pode desencadear muitos problemas.

Causas e tratamentos

A apneia acontece principalmente durante o sono, quando os músculos da região da garganta relaxam demais e podem obstruir a passagem de ar. Certos hábitos e condições são fatores de risco para a doença, tais como obesidade, idade avançada, uso de álcool, desvio de septo e o consumo de remédios para dormir. Nos casos leves e moderados,  é possível tratar esse problema com a odontologia.

Geralmente, é recomendado o uso de um aparelho intrabucal, feito por indicação do especialista. Usado durante à noite, ele reposiciona a mandíbula, deixando os tecidos da garganta mais esticados, de forma que o ar passa livremente pelas vias aéreas, o que evita a apneia.

O aparelho é feito sob medida e tem fácil adaptação, de modo que não causa dores, mudança na fala ou na mordida. Além disso, as restrições para o tratamento são poucas. Apenas pacientes que têm muitas ocorrências durante o sono, obesos ou pessoas com alguma disfunção na articulação da mandíbula não recebem a recomendação da placa. Contudo, essa avaliação e indicação de tratamento, apenas um especialista pode fazer.

Diagnóstico

O exame clínico deve prezar pelo relato do paciente e questionar sobre sintomas como ronco, interrupções respiratórias e sonolência. Também é recomendado que se realize um exame intrabucal, dando atenção a fatores anatômicos, especialmente à desproporção maxilo-mandibular e à redundância de tecidos moles na faringe.

A polissonografia monitora a noite de sono do paciente, exigindo que ele durma em uma clínica especializada. O exame é supervisionado por um técnico e é o mais indicado para o diagnóstico preciso do distúrbio, já que quantifica as ocorrências da apneia por hora de sono do paciente.

Se você é odontologista e pretende ampliar sua área de trabalho, essa pode ser uma boa alternativa!

Agora, se você é paciente e desconfia que sofre de apneia do sono, a dica é: procure um especialista!

Leia também: Como fazer da consulta ao dentista uma boa experiência para as crianças

Deixe seu comentário ↓

Dentalclean

O Blog Dentalclean existe para deixar você informado de tudo sobre a saúde bucal. Dicas, curiosidades, e orientações de dentistas especialistas no assunto. Acompanhe a gente nas redes sociais e fique por dentro dos lançamentos e novidades.

www.dentalclean.com.br

Tudo sobre os dentes da criança - Baixe o E-book Grátis

Siga a Dentalclean

Acompanhe a gente nas redes sociais e fique por dentro dos lançamentos e novidades.